nadar!

 

 

 


 

Conselhos do Campeão

De: Rosa PF. Conselhos do campeão. Nadar Rev Bras Esp Aquat 2006; 152:5-7
Date: 22-10-2008

o

Gustavo lembra que ganhou nada menos do que quatro medalhas olímpicas e que viu o doping de perto, mas conseguiu passar limpo pelo esporte. "E se eu consegui, outros atletas podem conseguir", sugeriu.

oo

Paralelamente, esclareceu que nem todo "monstro" esta necessariamente dopado. Explicou que o hormônio de GH, administrado artificialmente, também é estimulado de maneira natural pelo esporte de alto rendimento, levando o atleta a "crescer muito de uma hora para a outra". Gustavo ainda foi mais além, contando que estas alterações sofridas no corpo do atleta, sejam naturais ou artificiais, um dia serão perdidas. É o que ele está sentindo hoje. Muitos esportistas passam a enfrentar o problema da obesidade quando encerram suas carreiras. Ou, o contrário, como o caso de Gustavo, que emagreceu em função da perda muscular que o acometeu com a diminuição dos treinos e participações em competições.

ooo

A carreira do nadador Gustavo Borges não foi feita apenas de medalhas olímpicas e sucesso. Por trás disso houve muita transpiração, ou seja, muito trabalho duro. O nadador ensina que o sucesso no esporte depende de três fatores. Primeiro, o talento ou a paixão. Em segundo lugar vem o trabalho aliado a força de vontade e finalmente ("o mais importante"), a atitude. Hoje, se perguntamos a Gustavo sobre o lucro que ele teve com a natação, ele diz que isto não foi o mais importante e nem deve ser. "O que mais a natação me deu foi perspectiva de vida". E resumiu: "A natação me deu um norte".

oooo

Leia esta matéria na íntegra na edição da revista Nadar! citada sob o título acima ou pesquise no site.